Fiocruz promove seminário sobre REA

Texto cedido pela FIOCRUZ

Seminário Recursos Educacionais: desafios e perspectivas para educação aberta

Contexto

A Unesco, em evento conhecido como The Forum on the Impact of Open Courseware for Higher Education Institutions in Developing Countries, cunhou o termo Open Educational Resources com o seguinte entendimento: “provisão de recursos educacionais abertos, ativada por tecnologias de informação e comunicação, para consulta, utilização e adaptação por uma comunidade de usuários para fins não comerciais” (UNESCO, 2002).

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e o Sistema UNASUS vêm, desde o ano passado, desenvolvendo uma parceria para a implantação, de forma independente, em ambas as instituições, de um sistema de produção e publicação em acesso aberto de Recursos Educacionais Abertos (REA) voltados para a promoção da saúde. Em 2014, a Fundação Oswaldo Cruz – Fiocruz instituiu a sua Política de Acesso Aberto ao Conhecimento, visando garantir à sociedade o acesso gratuito, público e aberto ao conteúdo integral de toda obra intelectual produzida pela Fiocruz.

A UNA-SUS, criada pelo Decreto Presidencial nº 7.385, de 8 de dezembro de 2010, é definida como um sistema vinculado ao Ministério da Saúde, destinada a atender às necessidades de formação e educação permanente do SUS. Sua Política de Acesso Aberto está em processo de finalização.

A implementação de REA, em conformidade com essas políticas de acesso aberto, é uma alternativa significativa para a ampliação do conhecimento e inovação tecnológico-educacional. O Seminário de Recursos Educacionais Abertos é um importante passo para o desenvolvimento e a implantação de REA tanto nas instituições pertencentes ao Sistema UNASUS quanto na Fiocruz, pois é realizada num momento em que a primeira prepara-se para lançar sua política de acesso aberto à consulta pública e a segunda busca adequar o processo de produção e publicação de REA à sua já em vigor.

Ambas as políticas se baseiam nos princípios de uma sociedade justa, equânime e solidária, visando à promoção da saúde e a qualidade de vida das populações.

Ementa

Recursos Educacionais Abertos (REA): Conceito de REA da Unesco. Origem e evolução do acesso aberto ao conhecimento. Acesso gratuito e não comercial à informação científica. Acesso aberto ao conhecimento aplicado à educação. Política de Acesso Aberto ao Conhecimento da Fiocruz e sua interface com os REA. Formação e educação permanente do SUS. REA na educação em saúde. O apoio das tecnologias da informação e comunicação para utilização de REA na formação e qualificação de profissionais de saúde. Questões legais.

Objetivo:

Atender às necessidades de formação, por meio da educação permanente, dos trabalhadores da saúde e discutir aspectos teóricos e práticos do processo de produção e publicação de objetos educacionais, conceitos e diretrizes comuns das Políticas de Acesso Aberto da Fiocruz e da UNASUS.

Considerando a afinidade dos temas propostos pelo GT para o Seminário de Recursos Educacionais Abertos da Fiocruz/UNASUS com os temas enfatizados pelo GT do Seminário para Educação do Futuro, consideramos este Seminário/Oficina como parte integrante dos Ciclos de Debate que estão acontecendo na Fiocruz, organizados pela Vice-presidência de Ensino, Informação e Comunicação – VPEIC/Fiocruz.

Objetivos específicos:

  • discutir a criação e uso de Recursos Educacionais Abertos considerando a diretriz ampliada de acesso aberto ao conhecimento e sua aplicação no campo da saúde, mais especificamente na educação em saúde.
  • debater o papel das novas tecnologias no processo educativo e os desafios para a elaboração de materiais didáticos e para a prática pedagógica.
  • esclarecer a cadeia de produção e publicação de recursos educacionais abertos relacionadas aos direitos autorais.

O evento divide-se em dois momentos: aspectos teóricos, que cercam os recursos educacionais abertos; e práticos, que tratam de como fazer uso de tecnologias de informação e comunicação, para consulta, utilização e adaptação de recursos educacionais.

Espera-se com o Seminário/Oficina ampliar a participação e o conhecimento dos atores envolvidos no debate.

Público alvo:

Seminário: As palestras serão abertas ao público interessado

Oficina de trabalho “Ciclo de Gestão, Produção e Publicação de Recursos Educacionais Abertos”: Profissionais da Fiocruz e da UNASUS convidados de acordo com suas áreas de atuação e interesse no tema REA.

Data: 07 e 08 de abril de 2015.

Local: Salão Internacional da ENSP/Fiocruz

Programação

1º dia: 07/04

9h- Abertura

Nisia Trindade Lima – Vice-presidente de Ensino, Informação e Comunicação da Fiocruz

Francisco Campos – Secretário executivo da Universidade Aberta do SUS – UNASUS

Mesa: Recursos Educacionais Abertos: Produção, Gestão e Publicação.

Palestrantes:

Andreia Inamorato dos Santos – Doutora em Tecnologia Educacional pela Open University do Reino Unido (2011). Sua tese trata dos discursos do ensino e aprendizagem online. Consultora internacional em educação a distância (EAD) e tecnologia educacional pela DigiLearn (BR-UK), bem como pesquisadora em recursos e práticas educacionais abertas (REA-PEA). No Brasil, atua como consultoria estratégica, oferecendo palestras e oficinas sobre educação aberta, recursos educacionais abertos e educação a distância para universidades públicas e particulares brasileiras.

Tema: Recursos Educacionais Abertos – estado da arte, desafios e perspectivas

Tel Amiel: Doutor em Tecnologia Educacional na University of Georgia (2006) e pós doutorado (FAPESP) na FE/UNICAMP. Já foi Visting Fellow na University of Wollongong (Australia, 2007) e Stanford University (EUA, 2014) e professor visitante na Utah State University (2014-2015). Foi co-coordenador de projetos financiados pela CAPES/FIPSE, e coordenador de projetos CNPq e Hewlett Foundation. É coordenador do grupo de pesquisa e desenvolvimento Educação Aberta que desde 2010 desenvolvendo sobre educação aberta. É coordenador da Cátedra UNESCO em Educação Aberta.

Tema: Produção colaborativa de recursos, publicação e uso compartilhado na Educação.

Sergio Amadeu: Doutor em Ciência Política pela Universidade de São Paulo (2005). É professor adjunto da Universidade Federal do ABC (UFABC). Consultor de Comunicação e Tecnologia. Foi professor titular do Programa de Mestrado da Faculdade de Comunicação Social Cásper Líbero (2006-2009). Presidiu o Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (2003-2005) e foi membro do Comitê Gestor da Internet no Brasil.

Tema: Políticas públicas, padrões, e licenças abertas.

14h- Oficina de trabalho

Uso de tecnologias para a Produção de Recursos Educacionais Abertos

Objetivo: Estabelecer padrões tecnológicos e informacionais de produção e armazenamento de Recursos Educacionais.

Resultado: Nota técnica para o desenvolvimento do “Guia de elaboração para produção de Recursos Educacionais”. A Oficina deverá criar um grupo responsável para avançar na proposta para um Guia.

Coordenação: Rosane Mendes (VPEIC/Fiocruz), Aline Santos Jacob (ARES/UNASU), Ana Maranhão (ICICT/Fiocruz), Valeria Machado (ICICT/Fiocruz)

­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­2º dia: 08/04

9h- Abertura

Mesa: Recursos Educacionais e Direitos Autorais.

Palestrantes:

Allan Rocha- Professor Doutor do Departamento de Ciências Jurídicas e Sociais / UFRRJ. Consultor Acesso Aberto/ Fiocruz
Tema: Políticas de acesso aberto e REA nas instituições de pesquisa e ensino

Sergio Branco – Doutor e Mestre em Direito Civil pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro UERJ. Diretor do Instituto de Tecnologia e Sociedade do Rio de Janeiro. Professor da Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas Ibmec.

Tema:  Acesso aberto no âmbito da UNESCO/ONU

Carlos Affonso Pereira de Souza – Doutor em Direito Civil pela UERJ. Diretor do Instituto de Tecnologia e Sociedade do Rio de Janeiro (ITS). Professor Visitante da Faculdade de Direito da Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Tema: Propriedade Intelectual e Direito da Tecnologia da Informação

14h- Oficina de trabalho

Construção de diretrizes comuns para a Política de Acesso Aberto da Fiocruz e Unasus.

Objetivo: Definir diretrizes para o uso de REA nos repositórios ARES e REA-Fiocruz, de acordo com suas respectivas Políticas de Acesso Aberto

Resultado: Elaboração de uma proposta de recomendações para uso, reuso e publicação de REA na Fiocruz e nas instituições pertencentes ao Sistema UNASUS, considerando produção de materiais para cursos UNASUS, Fiocruz e cursos em parcerias.

Coordenação: Allan Rocha, Vinicius Oliveira, Ana Furniel, Paulo Guanaes, Viviane Veiga

 

Organização do Evento

Coordenação: Ana Furniel

GT REA: Ana Furniel, Ana Maranhão, Rosane Mendes, Mauricio De Seta, Vinicius de Oliveira, Angelica conviteSilva, Alline Jacob, Luciana Danielli de Araujo, Carla Kauffman, Carlos Alberto de Oliveira, Viviane Veiga, Paulo Guanaes, Valéria Machado, Allan Souza, Ana Paula Mendonça,

Ponto Focal Metodologia da Oficina: Carla Kauffman, Carlos Alberto de Oliveira e Rosane mendes

Área de eventos: Maria Ines Fernandes

 Acompanhe em Streaming: 

http://www.unasus.gov.br/noticia/una-sus-e-fiocruz-promovem-seminario-sobre-recursos-educacionais

Inovação na educação básica e tecnologias educacionais: aplicando os 4Rs dos recursos educacionais abertos

Capítulo publicado no livro:

“Complexidade: redes e conexões na produção do conhecimento” – da coleção Agrinho – Paraná

Acesso:

http://www.agrinho.com.br/materialdoprofessor/inovacao-na-educacao-basica-e-tecnologias-educacionais-aplicando-os-4-rs-dos-recursos-educacionais-abertos

Latin Project: livro didático aberto – relatório final do projeto

Do site do projeto:

“Report on the results of the pilot for collaborative creation of open textbooks

La creación de libros de texto es una tarea que involucra la participación de diversos actores. El trabajar colaborativamente es una tarea que no es fácil de ejecutar, se hace necesario definir, planear y estructurar actividades que conlleven a una verdadera colaboración entre los integrantes de los grupos de trabajo. En la escritura de libros esta técnica se ha ido utilizando con el fin de generar documentos de alta calidad. En el presente trabajo se presenta el modelo seguido para la creación de libros de forma colaborativa enmarcado dentro de la Iniciativa LATIn (Iniciativa Latinoamericana de Creación de Libros de Texto Abiertos).”

Pilot_report_Document

Educação ambiental: cartilha sobre mudanças climáticas – REA

Esta cartilha foi preparada no âmbito da participação dos autores no Projeto CLARIS LPB – Rede Europeia Sul-Americana para Avaliação da Mudança Climática e Estudos de Impacto na Bacia do Prata (Projeto N°212492), financiado pela Comissão Europeia através do seu Sétimo Programa-Quadro (FP7/2007-2013).

cartilha_mudancasclimaticas_definitivo_paginado

OpenCred study: assessment and recognition in open learning

The OpenCred study

The OpenCred study was carried out by the Institute of Learning Innovation at the University of Leicester in collaboration with the European Commission’s Institute for Prospective Technological Studies (IPTS), from May to November 2014. Its purpose is to inform IPTS’s OpenEdu project, which is investigating the challenges and opportunities in the recognition of learning achievements via open learning with the aim of supporting policy development at a European level.

The OpenCred research team (Gabi Witthaus, Mark Childs, Bernard Nkuyubwatsi, Grainne Conole, Andreia Inamorato dos Santos and Yves Punie ) investigated practices, attitudes and rationales for the types of recognition awarded for open learning, the factors that influenced decisions in this regard, and the contexts in which non-formal, open learning was recognised.

This paper published in the eLearning Papers issue 40 shares some of the early findings of the OpenCred study. It describes a range of institutional initiatives by higher education institutions in Europe in recognising non-formal learning achievements in open education. Recognition of learning is almost always conferred in consideration of the type of assessment used, and so a matrix has been developed to show the relationship between these two features. The vertical axis of the matrix comprises a five-level hierarchy of formality of recognition (from no recognition to full recognition in line with the European Credit Transfer System), while the horizontal axis represents a five-level hierarchy for robustness of assessment (from no assessment to formal examinations).

Examples of European open education initiatives are discussed and plotted on the assessment-recognition matrix. The paper concludes with a summary of the tensions between assessment procedures used and the nature of recognition awarded, and offers recommendations for institutions wishing to evaluate the nature of recognition awarded to students in open education. It also identifies further areas in which the framework could develop.

An Assessment-Recognition Matrix for Analysing Instituional Practices in the Recognition of Open Learning

Universidades Públicas do Paraná avançam na oferta de Recursos Educacionais Abertos

ABED cria Grupo ABED ABERTA e participa da Open Education Week 2014

Informe Digital _529-2

Follow

Get every new post delivered to your Inbox.

Join 38 other followers